terça-feira, 21 de janeiro de 2014

SABER MAIS, VIVER MELHOR!


Em Portugal, morre-se cada vez mais de doenças que podem ser evitadas ou adiadas.
Os hábitos menos saudáveis, marcam a infância e a fase adulta, traduzindo-se em doenças como a hipertensão arterial, o colesterol alto (dislipidémia) o enfarte do miocárdio, o AVC, alguns tipos de cancro, a diabetes e a obesidade. Esses hábitos passam pelo excesso de consumo de gorduras de origem animal e gorduras hidrogenadas, pelo excesso de açúcar e sal refinados, pela baixa ingestão de alimentos protectores como os frutos e hortícolas e pela sedentarismo, afectando adultos mas também crianças, que crescem doentes.
As refeições rápidas e apelativas, a publicidade, o stress das rotinas diárias, as horas de trabalho, a falta de tempo para nos preocuparmos com aquilo que comemos ou praticar exercício físico, fazem-nos comer mais e pior, criando o ambiente ideal para o aparecimento destas doenças.
Sabia que está na suas mãos mudar estes dados?
É verdade! Se apostar num estilo de vida mais saudável, estará a contribuir para uma vida melhor, para si e para os seus, e isto só se consegue com informação e conhecimento.
Cada um de nós é responsável pela sua saúde, e este é o bem mais precioso que temos para preservar.
Uma boa alimentação é fundamental em qualquer etapa da vida. Seja novo, ou mais velho, esteja são, ou doente, nunca é tarde para experimentar novos hábitos mais saudáveis. Por isso, vá mudando as suas rotinas alimentares. Aos poucos, elas irão operar grandes mudanças na sua vida.
Para ajudá-lo a começar, deixamos-lhe algumas sugestões:
·         Pare um pouco para olhar por si: veja o seu peso e medida do perímetro abdominal com alguma frequência e procure entender e agir perante o seu significado. O perímetro abdominal é um espelho do risco que corremos em ter algumas doenças cardiovasculares.
·         Evite comer demais, e ficar com a sensação de barriga muito cheia, principalmente antes de dormir.
·         Procure comer frutos e hortícolas da época, em todas as refeições.
·         Prefira pão, arroz e massas integrais: têm mais fibra, saciam mais, melhoram o funcionamento do intestino e proporcionam uma maior estabilidade da glicémia (açúcar no sangue) diária.
·         Procure comer os alimentos crus, cozidos a vapor ou cozinhados e grelhados, evitando os fritos e os assados com muita gordura.
·         Evite as gorduras de origem animal, reduzindo o consumo de carne e aumentando o consumo de peixes e alternativas vegetais ricas em proteínas, como o feijão, grão, lentilhas e soja e derivados.
·         Evite as gorduras hidrogenadas (trans), como bolachas, pastelaria e confeitaria, pães de produção industrial, refeições prontas e congeladas, gelados, snacks, aperitivos e batatas fritas de pacote.
·         Reduza o consumo de sal, até 5gr/dia. O cloreto de sódio (NaCl), mais conhecido por sal, está presente em grandes quantidades nos aperitivos, caldos instantâneos, molhos, enlatados, enchidos, fumados, manteigas, refeições prontas, e etc. Evite estes alimentos. Prefira o sal marinho integral ou flor de sal, pois ao contrário do refinado, mantém 84 minerais importantes, como o iodo, e apresenta menos sódio, sendo melhor no controle da tensão arterial. Não leve o sal para a mesa e aposte nos coentros, salsa, orégãos, louro, manjericão, bem como no limão, no alho e nas marinadas com vinho e outros temperos.
·         Faça exercício diariamente.
·         Crie o hábito de consultar os rótulos. Confirme e compare a quantidade de sal, açúcar, tipos de gorduras usados ou o índice glicémico. Aprenda a conhecer estes conceitos.
 
Como profissionais de saúde, queremos ajudá-lo.
Procure saber mais e informe-se. Seja um cidadão capaz de tomar decisões informadas.
Saiba mais e viva melhor!
 
Aline Jordão, Helena Pires, Nélia Lourenço, Rosário Semedo, Susana Simões
Grupo de alunas da Especialização em Enfermagem Comunitária, da Escola de Saúde de Portalegre
 

1 comentário:

Rui Martins disse...

Parabéns pelo trabalho, sem dúvida que se deve apostar na prevenção da doença e promoção da saúde! E para isso cada vez mais é necessário termos colegas especializados nessa área! Bom trabalho. Rui Martins